Bandeira Branca Enfiada em Pau Forte

Cristiana Tejo

Este programa concentra-se no experimentalismo audiovisual do Recife, um dos mais antigos e prolíficos centros do Brasil, tendo como ponto irradiador a trajetória de Paulo Bruscky, artista multimídia pioneiro em várias frentes brasileiras incluindo a videoarte, a partir do final dos anos 1970. Suas obras em Super 8, vídeo e U-Matik são experiências com a própria linguagem do filme, comentários humorados sobre a questão da representação na arte e a cidade como object trouvée. Assim como ocorreu mundialmente, a produção inicial de videoarte trouxe um novo sopro de experimentação para a linguagem audiovisual que começava a se cristalizar por conta do apelo comercial. Neste sentido, é interessante notar que este foi um dos momentos de grande fertilidade do audiovisual, em que cineastas e artistas plásticos convergiam atenção e energia para a expansão das possibilidades estéticas da imagem em movimento. O programa faz um contraponto com o momento atual em que a produção fílmica de Pernambuco ganha novamente densidade e importância nacionais e o trânsito de linguagens volta a ocorrer de maneira intensa, mas trazendo novas questões de forma e de conteúdo. Os artistas escolhidos emergiram na primeira década de 2000 no Recife e afora mesclarem as fronteiras dos campos do cinema e das artes visuais, problematizam com grande potência questões políticas locais internacionalizando-as, a exemplo do direito à cidade e a luta de grupos sociais por visibilidade além dos clichês identitários.

Detalhes:

Data exibição:29 Out, às 21:30
Local:Igreja do Colégio
Duração:48′

Cristiana Tejo

Brasil

Nesta sessão:

Poema

Poema
Poema
Paulo Bruscky

Faz Que Vai

Faz Que Vai
Faz Que Vai
Barbara Wagner & Benjamin de Burca